Home / Música / Rihanna recusa convite do Super Bowl por motivo nobre

Rihanna recusa convite do Super Bowl por motivo nobre

Reprodução / Simon Dawson pela REUTERS

 

Todos que conhecem o Super Bowl, o maior torneio de futebol americano dos Estados Unidos, sabem que a apresentação que ocorre durante o intervalo do jogo é o sonho de qualquer artista atualmente.

Acontece que nem todos aceitam o convite do torneio para se apresentar. A diva da música Rihanna é uma delas.

Mas a recusa da diva barbadiana tem um motivo. Muito nobre, aliás.

Em 2016, o jogador Colin Kaepernick protestou pela primeira vez durante um jogo. Durante a reprodução do hino nacional americano, ele se ajoelhou no gramado em protesto aos crimes raciais, desigualdade social devido a cor e ações brutais da polícia do país em relações aos negros. “Não vou me levantar e mostrar orgulho à bandeira de um país que oprime os negros e as pessoas de cor”, disse o jogador na época. O protesto aconteceu durante as últimas eleições presidenciais americanas entre o republicano Donald Trump e a democrata Hillary Clinton, o que acabou gerando polêmica e até críticas políticas. Resultado: desde este fato, o jogador não tem mais contrato com seu time e até hoje não conseguiu fechar negócio com nenhum outro time de futebol americano.

 

Colin Kaepernick / Reprodução / Loren Elliott pela REUTERS

 

A NFL (National Football League – Associação Nacional de Futebol) reprovou a atitute do jogador e Rihanna se pôs contra a decisão da liga e a favor do jogador.

A equipe de Rihanna confirmou que o convite foi recusado pela barbadiana por este motivo. O momento seria perfeito para ela, pois a cantora está para lançar um novo disco e entrar em turnê mundial, mas preferiu ficar do lado certo e recusar o convite feito pela própria liga de futebol americano.

Fontes próximas a Rihanna asseguram que Pink recusou o convite feito pela liga justamente pelo mesmo motivo: a segregação racial nos Estados Unidos.

O jogador segue desempregado, mas disse que iria processar a NFL e alguns jogadores ainda se ajoelham durante o hino nacional americano continuando o protesto iniciado por Colin. O half-time do Super Bowl de 2019 será apresentado pelo Marron 5.

Autor Mateus Buzzo

Bacharel em tradução e interpretação, pós graduado em inglês, Mateus é apaixonado pelo mundo da música em geral e cinema.

Veja Também

Datena voa em caça da Marinha no “Agora é Domingo”

No próximo “Agora é Domingo” (18), o apresentador José Luiz Datena enfrenta um dos maiores desafios da sua carreira: …