Home / Notícias / Bastidores: Sophia e Antonio sofrem acidente de helicóptero em Topíssima

Bastidores: Sophia e Antonio sofrem acidente de helicóptero em Topíssima

Foto: Blad Meneghel/ Record TV

Momentos de ação vão agitar os próximos capítulos da novela Topíssima. Os protagonistas Antonio e Sophia, vividos pelos atores Felipe Cunha e Camila Rodrigues, passarão por momentos de tensão e desespero depois de sobreviverem a uma queda de helicóptero, que os deixarão perdidos em uma mata. Os atores envolvidos, a direção da novela e equipe técnica comentaram sobre a filmagem destas cenas que prometem tirar o fôlego do público a partir do próximo dia 11 de outubro, sexta-feira.

Na trama do folhetim, Antonio recebe um serviço de Beatriz, vivida por Cássia Linhares, para ir até São Paulo. Sophia, que foi colocada em uma camisa de forças a mando de Lara, interpretada pela atriz Cristiana Oliveira, embarca no mesmo helicóptero do taxista para ser internada a força na capital paulista. Durante a viagem a aeronave acaba tendo problemas e sofre uma queda na mata fechada. O casal de protagonistas e um enfermeiro, interpretado por Claudio Amado, sobrevivem ao acidente e ficam perdidos na floresta durante dias. O piloto do helicóptero morre no desastre.

O diretor da novela, Rudi Lageman, conhecido como Foguinho, explica que as filmagens foram divididas em etapas durante nove dias e aconteceram em cinco locais distintos, “Tivemos um dia para filmar o voo de helicóptero com o elenco no céu da Barra da Tijuca. Outro dia foi gravada a simulação da queda da aeronave e as primeiras cenas após a queda no Recreio dos Bandeirantes e no Parque da Pedra Branca. Tivemos outro dia para tomadas aéreas e mais dois dias para as cenas diurnas deles acampados e andando pela mata. Outro dia foi para as cenas noturnas em Vargem Grande. Tivemos mais dois dias para as filmagens da travessia do rio caudaloso e para o resgate que aconteceram em Casimiro de Abreu. O último dia foi para a gravação da chegada deles ao Rio que ocorreram nos nossos estúdios”, contou Foguinho.

Cenas como estas sempre envolvem um nível de dificuldade maior na hora das filmagens, é o que conta o diretor da novela, “Cada dia teve um tipo de dificuldade por envolver cenas de ação e também de gravação em terrenos que apresentam intrínsecas dificuldades. Gravação de cena em aeronave exige equipamento especifico. Gravação na mata nativa exige cuidados com a flora da mata e também com a presença da fauna da região como cobras, escorpiões e etc. Já a gravação em rios encachoeirados é sempre arriscado pela própria natureza do lugar”, explicou o diretor, que ainda deu detalhes sobra a presença de dublês, efeitos gráficos e utilização de aeronaves durante as filmagens, “Toda a sequência é cheia de pequenos e grandes eventos, o que exige sempre a presença de dublês: na explosão do helicóptero, na caça de uma cobra, no enfrentamento das quedas da água do rio encachoeirado. Há um mínimo de efeitos gráficos. A maioria das cenas é de gravação ao vivo. Usamos um helicóptero para o voo e foi construída uma réplica do helicóptero, no tamanho exato do mesmo, para fazer takes da queda na mata. Ficou sensacional”.

Responsável pelo departamento de arte da novela, Renato Chaves explica como foi feita a construção da réplica da aeronave utilizada nas cenas do acidente aéreo, “A réplica do helicóptero que desenvolvemos foi o Esquilo AS350 com capacidade para 5 passageiro e um piloto. Para tal, fiz um projeto com escalas reais. A construção foi feita na nossa fábrica de cenários. Ao todo foram 30 dias de trabalho envolvendo serralheiros, marceneiros, aderecistas, forradores, pintores de arte e eletricistas”, contou Renato Chaves.

A caracterização dos atores ficou sob a responsabilidade de Adilson Vilela, profissional da maquiagem de efeitos, coordenada por Vavá Torres. Ele contou que a maquiagem feita nos atores diminua de acordo com o tempo em que os personagens passavam na mata durante a trama. Adilson também revelou outros detalhes sobre a caracterização do elenco nas filmagens do acidente, “Fizemos as escoriações sofridas pelos personagens na queda do helicóptero. Esses ferimentos foram feitos com material importado diluído a base de álcool para que não saíssem nos momentos em que eles entravam na água. Levávamos cerca de 40 minutos para a caracterização de cada ator”, contou o profissional da maquiagem de efeitos.

O ator protagonista Felipe Cunha faz uma projeção do destino dos personagens na trama e ressalta que o acidente sofrido por eles acabará aproximando Antonio e Sophia, “Essa passagem da queda do helicóptero é importantíssima na trama. É de fato a primeira vez na história onde o Antonio e a Sophia experimentam a convivência e são obrigados a aceitar as limitações e defeitos um do outro para superarem esta floresta e sair de lá vivos. Neste momento o sininho do amor bate novamente. Embora tenham passado todas essas dificuldades, mesmo dentro desse turbilhão, eles percebem que ainda existe amor”, aponta o ator.

Topíssima, escrita por Cristianne Fridman, chegou ao capítulo de número 100 na última segunda-feira, dia 07 de outubro. A previsão é que a novela termine no próximo mês de dezembro, quando será substituída por Amor Sem Igual, escrita pela mesma autora. Topíssima é exibida de segunda à sexta-feira pela Record TV a partir das 19h45.

Autor Bruno Silva

Amante de artes, Bruno está sempre ligado nas novidades da música pop nacional e internacional.

Veja Também

A Fazenda: Lucas Viana é o novo fazendeiro, Rodrigo e Jorge estão na roça

A noite da terça-feira (22) foi marcada pela prova eletrizante do fazendeiro disputada entre Jorge, …

Deixe uma resposta